Mais Emprego, mais salário

Salário ganha da inflação

Pepe Vargas trabalhou como relator da proposta que fixou em lei a Política de Valorização Permanente do Salário Mínimo, aumentando o poder de compra do trabalhador. Graças a essa iniciativa, o salário mínimo é reajustado por um índice que soma a inflação com o crescimento anual da economia bra- sileira. Esta política garantiu um reajuste de 72,31% acima da inflação para o salário mínimo durante os governos LULA e DILMA, uma valorização que há décadas não ocorria.

Quando o salário mínimo cresce, elevam-se também os pisos salariais de todas as categorias profissionais. Ou seja, ganham todos os trabalhadores brasileiros.

 

Recorde na geração de empregos

Do  início  do  governo  Dilma Rousseff até março deste ano, foram criados 5 milhões de empregos com carteira assinada. Somando com os empregos gerados durante o governo LULA, o Brasil criou 21,2 milhões de empregos com carteira assinada nos governos do PT. Em função disso, em dezembro de 2013, a taxa de desemprego caiu para 4,3%, o menor desemprego da his- tória do país. Isso foi possível graças ao mo- delo  de  desenvolvimento  econômico que distribui renda e reduz desigualda- des sociais.

Nestes anos de Lula e Dilma foram 36 milhões de pessoas que saíram da extrema pobreza e outras 40 milhões atingiram a condição de classe média. Nenhum outro país do mundo reduziu tanto a pobreza como o Brasil, no mesmo período.

Caminho da escola gera emprego na indústria 

O deputado Pepe Vargas defendeu o programa do governo Dilma, que beneficia pelo menos 1,9 milhão de estudantes em todo o Brasil. O programa Caminho da Escola, do governo federal, doou 17 mil ônibus para muncípios. Um benefício para os alunos e também para indústria nacional fabricante de ônibus, que aumentou o fatura- mento e gerou mais empregos. O Rio Grande do Sul e a Serra Gaúcha ganham muito com este programa, uma vez que somos os maiores pro- dutores de ônibus do Brasil.

Relacionados