Contradição de Palocci torna incompatível sua presença no PT

A declaração de Antônio Palocci, após mais de um ano de prisão, é contraditória com sua primeira manifestação. Sua declaração somente é possível num momento de violação do estado democrático de direito e à democracia como valor máximo.

Após ameaçar grandes bancos e uma grande empresa de comunicação do país, o mesmo opta por atacar o PT, suas lideranças e seus governos com o objetivo que parece óbvio, colaborar com a tentativa de criminalização do PT e da sua maior liderança, sem provas, com base apenas nas convicções de Deltan Dallagnol e Sérgio Moro, evidenciando a partidarização de setores do aparelho judicial. Suas afirmativas não têm comprovação, a declaração apenas contribui e aprofunda o estado de exceção instalando no país.

Este estado de exceção é a verdadeira base de sustentação das contrarreformas que estão destruindo os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários dos trabalhadores e jovens brasileiros.

Ao tentar uma colaboração premiada Palloci não só abdica de defender seus atos como admite que cometeu ilícitos. Assim a Executiva Estadual do PT do RS considera a sua permanência no PT incompatível com o compromisso que se espera de um partido de esquerda e considera inadiável o esforço do PT, neste quadro, em reafirmar, em todos os aspectos, seu compromisso com os trabalhadores.

 

 

Porto Alegre, 11 de Setembro de 2017

Pepe Vargas

Presidente do PT/RS

Executiva Estadual do PT/RS

Relacionados