Deputado Pepe Vargas apresenta demandas de Caxias do Sul para pré-candidato ao governo do RS

Pepe e Rossetto ouviram demandas da cidade de Caxias do Sul que serão incluídas no programa de governo

 

O deputado federal Pepe Vargas (PT-RS) acompanhou o pré-candidato ao governo do Estado do Rio Grande do Sul, Miguel Rossetto, em Caxias do Sul, no sábado (16). Além de discutir o programa de governo com a militância, os dois tiveram reuniões com a reitoria da Universidade de Caxias do Sul e com representantes da cultura.

A agenda de Rossetto com o deputado, que também é presidente do diretório estadual do PT gaúcho, começou com um seminário realizado na parte da manhã no Salão de Atos da Reitoria da UCS. No encontro, economistas, advogados e técnicos apresentaram um estudo sobre a situação do Estado e o pré-candidato, propôs alternativas para superar os problemas em saúde, educação, segurança e infraestrutura.

Convidados pelo reitor Evaldo Kuiava, Pepe e Rossetto visitaram novas instalações da instituição. Entre elas, as de cursos mais recentes como de Odontologia e a Veterinária. No encontro, o reitor expressou a preocupação com a falta de recursos para a saúde. Principalmente para o custeio do Hospital Geral (HG), que atende 100% SUS (Sistema Único de Saúde). De acordo com o professor, o déficit do hospital passa de R$ 7 milhões. O deputado Pepe defendeu que os alunos e a instituição não devem pagar pelos custos que são responsabilidade do estado. “O HG precisa continuar atendendo 100% SUS, mas quem deve garantir esses investimentos são os governos estadual e federal”.

Pepe também conduziu Rossetto em uma conversa com representantes da cultura, na Praça Monteiro Lobato, em frente ao histórico prédio da Maesa (Metalúrgica Abama Eberle SA), doado ao município no governo Tarso Genro (PT). A reivindicação dos produtores culturais é de que, passados quatro anos desde que o Estado doou a área para Caxias do Sul, nenhuma das administrações (Alceu Barbosa Velho ou Daniel Guerra) fizeram uso da estrutura. “A ideia é que essa área, que pertencia ao estado do Rio Grande do Sul, seja transformada em uma cidadela das artes e da cultura e que todas as pessoas tenham acesso a ela”, defendeu Rossetto.

Relacionados