Pesquisar
Close this search box.

Aprovada Subcomissão sobre serviços de urgência e emergência em saúde

Pepe Vargas

Pepe Vargas

Com o objetivo principal de propor alternativas e buscar soluções para os serviços de atendimento em saúde de urgência e emergência, será criada uma  Subcomissão, específica para tratar do tema,  junto à Comissão de Saúde de Meio Ambiente. O requerimento, proposto pelo deputado estadual, Pepe Vargas (PT), foi aprovado por unanimidade pelos parlamentares, na reunião desta quarta-feira (26). 

Os serviços de saúde em todo Estado sofrem com o aumento das filas de espera para procedimentos clínicos e cirúrgicos, como resultado do pós-pandemia.  Conforme o deputado, é preciso garantir o menor  tempo de espera e permanência nos serviços de saúde, considerando as necessidades dos pacientes e definindo o quanto antes o diagnóstico para o início de tratamento efetivo.  “O tempo de espera pode atrasar o diagnóstico e o tratamento de condições médicas, o que pode levar a complicações mais graves”, explicou.  Além disso, explica o parlamentar, as filas de espera por atendimento, consultas especializadas e leitos hospitalares podem aumentar o estresse e a ansiedade, o que pode prejudicar a saúde mental e física. Para o Estado, o tempo de espera pode significar o aumento dos custos de saúde para tratamentos.

O documento aprovado na Comissão de Saúde de criação da Subcomissão, observa a existência de lacunas e problemas significativos na atenção básica,  o que também contribui para criar filas de espera por leitos e internações. O deputado explica que para reordenar a atenção à saúde em situações de urgência e emergência de forma coordenada pela atenção básica, é necessário mais do que a ampliação da rede de serviço: é preciso, de forma qualificada e resolutiva, o desenvolvimento de ações de promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos, de diagnóstico, tratamento, reabilitação e cuidados paliativos.

A  Rede de Urgência e Emergência, atende a diferentes condições cirúrgicas, traumatológicas, em saúde mental, entre outras. Ela é composta por diferentes pontos de atenção, com o intuito de atender diversas situações de urgência.  Diante disso, o parlamentar defende que é necessário que seus componentes atuem de forma integrada, articulada, buscando a qualificação profissional, a informação e a regulação de acesso aos serviços.  

crédito foto: Débora Beina

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas