Pesquisar
Close this search box.

Resgate da memória do município de Guabiju tem apoio do deputado Pepe

Pepe Vargas

Pepe Vargas

A primeira escola do município de Guabiju, construída na década de 1930, está prestes a ter a sua história contada por meio de um curta-metragem que terá cerca de 15 minutos de duração.  Atualmente seguem as entrevistas aos ex- alunos da escola e personalidades do município que tiveram vivências no local. O curta, que vai resgatar a memória da escolinha, será produzido por meio de recursos da Lei Paulo Gustavo, no valor de R$ 39.186,22, distribuídos para as categorias de produção de curta-metragem, projeto de restauração e reforma de local para apresentações, ensaios, teatro, formação e qualificação por meio de oficinas de arte e salas de projeção. O acesso à Lei Paulo Gustavo contou com o apoio do deputado estadual Pepe Vargas, que contribuiu com informações e esclarecimentos para a ação, colocando o seu Gabinete à disposição nesse regaste da história da cidade e elaboração do edital.

A ideia de produção de um curta-metragem, conforme o presidente da Associação Cultural Guabijuense (ACG), Gilmar Antonio Detogni, surgiu com o propósito de contar à  história e preservar a memória da cidade. Em julho deste ano, o deputado esteve me Guabiju visitando o local, acompanhado do vereador Mauro Ribeiro (PT). Pepe ressaltou a importância do trabalho desenvolvido para cultura e memória da cidade. “É um espaço fundamental para a cultura. Parabéns aos envolvidos nesse resgate”, disse. 

Paralelo à produção do filme, a restauração, iniciada em setembro deste ano, segue a todo vapor, com previsão de conclusão para maio de 2024. A antiga escola, entre as décadas de 1940 e 1960, foi um espaço de aprendizado e sociabilidade. Após esse período, o local, que pertence a Mitra Diocesana de Caxias do Sul, foi moradia da congregação de irmãs, foi usado para atividades de catequese  e chegou abrigar a Câmara de Vereadores do município no início da década de 1990. Por fim, foi também uma creche municipal. Segundo o presidente da ACG, atualmente, a Associação está viabilizando um contrato de comodato com a Mitra Diocesana para o uso do espaço. 

Lei Paulo Gustavo

A Lei Complementar nº 195 de 2022, conhecida como Lei Paulo Gustavo (LPG) regulamenta a destinação de verbas da União para estados e municípios, que por sua vez têm a tarefa de gerir a seleção pública de projetos de arte e cultura que poderão ser beneficiados pelos editais. No total serão investidos, somente em 2023 no Brasil, R$ 3,8 bilhões, em ações que fortalecem as artes visuais, artes cênicas, teatro, dança, cinema, fotografia, artes digitais, entre outras.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas