Pesquisar
Close this search box.

Pepe concede medalha da 56ª Legislatura ao presidente da Associação de Umbanda de Caxias

Pepe Vargas

Pepe Vargas

O presidente da Associação de Umbanda Caxias, Saul de Medeiros, recebeu nesta quarta-feira (13), das mãos do deputado estadual Pepe Vargas, a medalha da 56ª Legislatura da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Saul de Medeiros é uma liderança religiosa com reconhecida atuação, em âmbito regional e estadual, na promoção e na defesa das religiões de matriz afro-brasileiras e da liberdade de expressão religiosa. A cerimônia, realizada no Plenarinho da Assembleia, reuniu lideranças políticas, religiosas e a comunidade.  

Durante a homenagem, o deputado destacou a trajetória do líder religioso, marcada pela promoção das religiões de matriz afro-brasileiras, pela defesa da liberdade de expressão de fé, e pelo combate à discriminação e ao preconceito contra praticantes de religiões de origem afro. “Teu papel na defesa da liberdade de expressão da fé e no combate a discriminação e preconceito sofrido pelos praticantes das religiões de origem afro, tem feito a diferença na nossa sociedade”, declarou Pepe.  Entre as contribuições de Saul, o parlamentar registrou a atuação na implementação do Reino dos Orixás e na construção do Monumento ao Orixá Ogum, em Caxias do Sul e ressaltou a produção acadêmica como estudioso da religiosidade. “Seu livro Umbanda, um encontro com a diversidade racial é apresentado, no Portal da Amazon, como “objetivo, instigante e, sobretudo, inteligente e corajoso”, contou.  

O deputado destacou ainda a importante liderança e participação do líder religioso nas conferências municipais e estaduais; as centenas de palestras proferidas por ele em diferentes espaços, na promoção e defesa das religiões de matriz afro-brasileiras. Pepe lembrou ainda que o babalorixá Saul d’Ogun idealizou a bandeira da Umbanda, lançada oficialmente em 2008, por ocasião do Centenário da Umbanda no Brasil – reconhecida como símbolo nacional da religião, a bandeira representa a identidade de um povo, a unidade de uma nação. O deputado salientou que, por meio da iniciativa do líder religioso, foi possível aprovar na Assembleia, recentemente, o projeto de sua autoria, que institui o Orixá Ogun como patrono das religiões afro-brasileira no Rio Grande do Sul. “Teu papel na defesa da liberdade de expressão da fé, no combate à discriminação e preconceitos sofridos pelos praticantes da religião originárias tem feito a diferença”, completou. 

Ao encerrar a homenagem, Pepe Vargas, enfatizou o papel do Paul Saul como liderança espiritual durante a pandemia. “Durante a pandemia, momento de grande sofrimento para milhares de pessoas – com perdas de pessoas queridas, com isolamento e distanciamento social – trouxe consolo, alento e esperança, por meio de mensagens, palavras, disponibilizadas em vídeos”, evidenciou. “ Que tuas palavras, no centenário da Umbanda, nos sirvam de inspiração na construção de uma sociedade onde impere a tolerância religiosa. Que sejamos capazes de acolher e incluir, sem jamais agredir”, concluiu. 

O homenageado – Saul de Medeiros 

Graduado em Psicologia, filosofia, Teologia, Saulo de Medeiros, tem especialização em Psicologia Clínica, é mestre em Filosofia. Pesquisador da religiosidade de matriz africana no Brasil, da Cultura afro-brasileira com enfoque na história social da religiosidade de matriz africana, dos fundamentos e ritos de Umbanda e Nação Jêje e Ijexá, e estudioso da cultura e língua Iorubá, já publicou os livros “Umbanda, um encontro da diversidade racial – uma instituição a serviço do bem”, e “O Lorde das Trevas – Uma jornada de lutas entre as sombras e a luz”. 

Durante a entrega da medalha da 56ª Legislatura da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Saul d’Ogun  demonstrou sua gratidão aos ancestrais, à comunidade e ao deputado Pepe Vargas, quem conheceu quando Pepe era prefeito de Caxias do Sul. “Em 1997 idealizei o primeiro Congresso Teológico Caxiense de Umbanda, oportunidade que conheci o deputado, que era prefeito”, contou. A ocasião, segundo Saul, representou um divisor de água para religiosidade afro-umbandistas, que passou a ter visibilidade nos espaços públicos. “Sempre sofremos com uma invisibilidade, que agora, aos poucos, passa desaparecer”, comemora.  Lembrou ainda que na gestão do então prefeito Pepe Vargas a comunidade afro-umbandista conquistou o santuário Ecológico Reino dos Orixás, o monumento ao Orixá Ogun, patrono da Cidade de Caxias do Sul, juntamente com a praça Babarolixá Lauro Ogum, única no Brasil. “Feliz com mais essa conquista, essa medalha contempla toda a religião afro-umbandista. Esse estado que tem no CTG, uma representatividade cultural, tem também outro centro de tradição que precisamos enaltecer, o terreiro”, disse. O líder religioso destacou ainda que os terreiros são pontos de resistência. “Aos poucos, conquistamos essa visibilidade para podermos expressar a nossa brasilidade, o nosso Axé, essa proposta tão sadia que é o afro-umbandismo”

Saul d’Ogun recebeu recentemente a Medalha Zumbi dos Palmares, concedida pela Câmara Municipal de Caxias do Sul, a partir da indicação do Conselho da Comunidade Negra de Caxias do Sul (Comune) e das bancadas partidárias da Casa.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
WhatsApp

Notícias Relacionadas